Posts Tagged 'ballet'

9 COISAS SOBRE MIM

Entrei na onda do blog da minha amiga Kamilla e resolvi compartilhar 9 coisas curiosas sobre mim. Mesmo que ninguém se interesse é um exercício bastante bem legal pensar sobre si mesma! Enjoy!
* Aceito adendos, sugestões e possíveis risinhos das amigas mais íntimas.

1. chupei chupeta até meus 8 anos (vide minha arcada deformada!) Depois disso acalentei-me com uma fraldinha enrolada de um jeito criativo (sempre!!!!) que eu batia no nariz compulsivamente. Até hoje sinto um orgulho pueril pelo jeito que enrolava o pano: todas as amigas e vizinhas queriam que eu fizesse um pra elas! haha

2. escondo minha verdadeira idade desde os 21, data em que gostaria de estar com 17 anos. Evito colocar velinhas no bolo mas quando não tem jeito sempre faço um brincadeirinha e coloco a idade errada. Em troca recebo comentários amigáveis do tipo: “nossa, eu acho que já fui nesse aniversário” ou “acho que estou tendo um dejavu”.

3. tive uma infância bem doentinha: bronquite asmática, reumatismo, disritmia (e arritmia também), sopro no coração e por aí vai… quando minha mãe fala sobre isso hoje em dia eu ainda deixo a pobrezinha se sentindo culpada porque falo: foi porque não tomei leite materno!

4. aprendi a ler aos 4 anos brincando de escolinha com minha irmã mais velha. Quando fui pra escola a professora ficava nitidamente irritada comigo pois quando ia ensinar uma nova “familia” de fonemas eu s-e-m-p-r-e falava: eu já sei…esse é o “ême”, esse é o “éfe”!

5. quando fiz faculdade na UFES, na turma de Comunicação Social de 98, eu era a única negra (e com orgulho)!

6. quando eu era criança, muitos dos meus sonhos eram encenados: de dia brincava de cavalinho com meu pai, a noite subia na minha irmão e ficava pulando nas costas da coitada que dormia do meu lado; levantava e me punha em frente ao espelho achando que estava na janela da sala, entre outros, mas eu juro que não me lembro de nada, minha mãe me contava tudo no outro dia.

7. Jogava handboll na adolescência, fui do time da Desportiva/ES (tiva!! tiva!!) e ganhamos o estadual feminino no ano de não sei ao certo. O fato é que eu amava jogar, treinar, usar o uniforme, viajar com o time e, principalmente, andar de joelheiras pelo bairro!

8. tenho dificuldade de localização, tipo norte/sul leste/oeste, rua direita ou esquerda, enfim, me perco quase toda a semana em algum lugar, seja a pé ou de carro. Preciso ir várias vezes a um lugar para gravá-lo, me perco em casas e ruas que não conheço bem, se entro de um lado da rua, normalmente quando saio vou pro lado oposto. Diante disto não tenho credibilidade nenhuma quando falo pra alguém: “pode deixar que eu te levo” ou “eu sei onde é”! Minhas amigas já me mandaram ir ao médico e meu marido acha que tenho problema de memória (eles devem ter um pouco de razão).

9. Há uns dois anos atrás entrei no ballet e cansei de ouvir que eu já tinha passado da idade. Mas não me importei! Adoro sapatilhas, meias e polainas. E amo dançar pra Deus!

Anúncios

PORQUE HOJE…

Eu vou dançar para Deus e isso me deixa muuuuuito, mas muito feliz!!!!

Encha seus pulmões de ar e deixe Deus encher o restante da sua vida com a doce e maravilhosa Presença. Inspire-se e dance pra Ele também, com toda a sua alma, força e entendimento!

Beijos pra Nath, Gabi, Dany, Mari, Lari e Lainy que “bailam” ao som que vem do céu, junto comigo!

* fotinhas daqui, ó!

A SALA


Não pergunte os detalhes, porque não vou saber dizer. Nem me exija um discurso coeso, porque isso também não é possível.

Quando me dei conta estava de pé em frente àquela casa antiga, mas perfeitamente conservada, linda. Era elevada com pedras tipo a foto (1), mas o acabamento era mais bonito que esta, com as pedras claras e mais finas e perfeitamente arrumadas uma em cima da outra.

Estava diante das janelas que davam para a frente do jardim. A porta ficava, acho, na lateral imediata, não lembro se tinha escada (mas devia ter, era elevada) nem das cores em que era pintada. Acho que me lembro dela ter apenas um andar, mas o telhado era inclinado, meio que como estes (2).

E não sei como eu já estava lá dentro e a visão era ainda mais encantadora.

Estava na sala (ou numa das). Era grande e imponente, a maior sala que eu já havia visto em toda minha vida, em novelas ou em filmes. Suas janelas eram muito altas (eram essas que eu via de fora), como estas (3) e as paredes eram lisas assim também, mas os móveis eram de época (4), em tons harmoniosamente combinados com o chão de madeira clara, lustroso e sem arranhões.

Não havia tapetes, o que deixava o chão ainda mais exposto. Não tinham muitos móveis também, o que dava uma sensação de espaço e liberdade ainda maior.

Àquela hora a luz vinda de fora deixava amarelado, iluminado todo o ambiente.

Existiam outras janelas e todas eram cobertas por um fino voil branco, até o chão, que tremulada ao toque da brisa serena que entrava pelas frestas entreabertas. Mais uma linda cena!

Interessante… o ambiente não era exatamente quadrado (ou retangular). Do lado direto, me lembro que a parede formava um ângulo (exatamente como na foto 3), como se a sala tivesse cindo ou seis lados não iguais, não estou bem certa…

Três das paredes (as menores e que não tinham janelas) ostentavam grandes espelhos e ao entrar meu olhar foi direcionado para a esquerda quando, logo, pensei: se eu tivesse uma sala dessas ensaiaria balet aqui todos os dias!!! Foi quando mais surpreendida, do lado oposto, percebi embaixo das cortinas barras de ferro dessas de estúdio de ballet ao longo de parte das paredes!

Wow, que histórias teria essa sala quase surreal!

Continue lendo ‘A SALA’

ELA ARRASA…

Este post é pra pessoas apaixonadas por dança, loucas por ballet, que admiram essa arte ou apenas tem uma vaga noção do que eu estou falando.

O vídeo abaixo MERECE ser visto!!!

Polina Semionova (e não Seminova como está no vídeo!), bailarina russa, de 25 anos é boa de doer! Chega dá um aperto no coração vê-la dançar….

• ela é linda
• tem uma postura, uma combinação de queixo, ombro e costas que só pode ser de outro mundo
• tem uma andar de garça, quase voa…acho mesmo que ela deve andar voando
• a interpretação dela é um looosho
• ela faz a ponta parecer a coisa mais fácil e menos dolorosa do mundo
E por último
• é incrivelmente magra

Que ponta linda, que arabesque lindo, que grand jetè perfeito! Senta e chora!!!

Enfim… até eu, que prefiro ballet contemporâneo, fiquei arrasada de emoção quando vi a Polina e, desejei ardentemente, dançar só 0,000148% que ela! Mentira, só um pouquinho da postura e da leveza (ok, da magreza tb, hehe) já me deixaria satisfeita.

Ah! Palmas também pra música e edição do vídeo!

🙂


SEJA BEM-VINDO!

JULIANA ESCREVE
Sobre tudo que alcança seu coração, o que não é pouca coisa! Deus, família e amigos são assuntos recorrentes. Milagres, bençãos e bom humor também fazem parte... Se quiser ficar no meu coração, à vontade, mas não traga porcarias para dentro dele, ok? :)

Categorias