Arquivo para março \31\UTC 2010

ATRAPALHA, GENTE…

 
Erick, com seus músculos delícia, com 4 meses e sua mamãe, minha amiga, Erika.


Alicinha, a baby rosa mais fofa do mundo, com 3 meses, filha da minha amiga Kamilla.

Agora, minha gente, me diga se esse tipo de coisinha (fofa) perto de você na hora do culto não atrapalha total a concentração?!?! Tia Jú fica cafusa!! hehe

Beijos babies and girls! Love you!

 

EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA DEUS É DEUS

Quem lê sempre o meu blog vai lembrar, sim, da história de fé de Lee, Adson e Henrique, que contei tempos atrás aqui.
Pois hoje tive a grata surpresa de receber a visita e o comentário do Adson neste blog. Fiquei honrada e achei que isto também deveria ser compartilhado, bem como os incríveis episódios anteriores, pois são fatos assim que nos levam, neste mundo tão doido, a crer que Deus é Deus diante de qualquer circunstância.


Olá Juliana!?
Sou eu, Adson, esposo da Lee. Achei por acaso o seu blog procurando outras coisas da Igreja. Não imaginava que esta carta pudesse tocar no coração das pessoas como vem fazendo. Amém por isso!
Se passaram 117 dias da partida da Lee. Tudo mudou. Não sei te explicar a falta que ela nos faz. O sofrimento no dia-a-dia vai sendo amenizado pelo Senhor. Henrique está bem, de vez enquanto chora de saudade. Tenho exercido o papel de pai ao cubo e só a Graça pra me fortalecer.
São muitas responsabilidades que um dia, espero dividir com outra pessoa, pois não nasci pra solidão e nem ela pra mim. rsrsrrsrs
Estou no aguardo do tempo de Deus.
Obrigado por divulgar esta carta!
Deus te abençoe!
Adson….da Lee

Pra quem chegou agora por aqui (oi?!) vale a pena essa e essa leitura. Você saberá sobre essa família e sobre o Deus a quem servem. Inspirador! Obrigada Adson! Paz e benção pra você e Henrique!

Fiquem na paz daquele mesmo que cuidou da Lee e cuida de nós, sempre.

DESCULPEM O TRANSTORNO, ESTAMOS EM CONSTRUÇÃO.

Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos. Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos. Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente. Mas agredimos.
Não respeitamos o tempo do outro, a história do outro. Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos e o outro é apenas um detalhe. E, assim, vamos causando transtornos.

Esses transtornos tantos mostram que não estamos prontos, mas em construção. Tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma.

O outro também está em construção e também causa transtornos. E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca. Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto. E quando não é um, é outro. E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer.

Os erros dos outros, os meus erros. Os meus erros, os erros dos outros.
Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram. A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão.
Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras. É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntários. Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante. Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado. E será um desperdício.

O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão. É um banho na alma! Deixa leve! Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos… Estou em construção!

Gabriel Chalita
Professor, escritor e apresentador da TV Canção Nova.

** Recebi esse texto hoje de uma super amiga e, já ensaiando voltar a escrever há alguns dias, achei apropriado para este re-começo esse texto, que, aliás, tem super a ver com uma frase que sempre escutava: nós somos edifícios inacabados, em constante reforma, Juliana! E é mesmo! Super concordo!

beijotchau 🙂

TARDE À NOITE


daquela tarde flui pura inspiração
revivem intocadas sensações outrora perdidas
pelas mãos escorrem outras, nunca antes sentidas
e espalha-se por todo o canto surpresas
o novo se descortina e a brisa leve finda
a tarde se esvaindo, fluida
abraçando sem medo as sombras
de um prenúncio do que pode ser a noite

* fotinha daqui, ó!

DIAS SEM SOL

cai a chuva e a temperatura
esconde-se o sol
fica o alento
de que voa o tempo
e (quase) tudo passa
mas que volta e meia, volta o vento
que um dia já foi tempestade
mas que hoje é brisa fresca
que acalma e alivia
do ardor que queimava aqui dentro
do calor que lá fora fazia

* sim, não apenas choveu como disse aqui dias atrás, mas a temperatura caiu e pra que isso serviu? Pra refrescar o calor, a alma e as ideias!!

Semana de bênçãos e de brisa fresca que vem dos céus!

VÁRIAS IDEIAS E UM PENTEADO – dia 4


Da série: Várias Ideias e um Penteado
Dia 4 – Quarta-feira

Cabelinho solto com florzinha de tic-tac de lado (bem escabelada no fim do dia!). E só!


SEJA BEM-VINDO!

JULIANA ESCREVE
Sobre tudo que alcança seu coração, o que não é pouca coisa! Deus, família e amigos são assuntos recorrentes. Milagres, bençãos e bom humor também fazem parte... Se quiser ficar no meu coração, à vontade, mas não traga porcarias para dentro dele, ok? :)

Categorias