Posts Tagged 'chuva'

CHEIRO DE TERRA MOLHADA

Desde pequena sempre me encantou o cheiro de terra molhada.

Antes mesmo de cair os temporais de verão – não, não como os de hoje – quando a chuva ainda vinha longe e as primeiras gotas ainda nem haviam caído do quintal poeirento, lembro-me de ficar à janela da casa da minha infância com aquela expectativa boa, aquela ansiedade esperançosa, aquela inquietude de uma novidade iminente – coisas que só o cheiro de terra molhada pode provocar… Ainda hoje ao escrever esse texto, sinto esse mesmo cheirinho, recordo-me da janela de madeira azul da casinha, da cor caramelo da terra úmida…

Agora, já passados bons anos dessas lembranças, refletindo na bíblia, me peguei lendo um texto que maravilhosamente me trouxe à tona essas doces recordações deixando-as ainda mais desembaçadas. Encontro no livro de Jó, no capítulo 14, esses versos:

“Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus frutos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no chão, ao cheiro das águas brotará, e florescerá como uma planta nova.”

De onde concluo que toda “aquela expectativa boa, aquela ansiedade esperançosa, aquela inquietude de uma novidade iminente” que dizia lá em cima se chama esperança, pura e simples, que Deus já colocava em meu coração!

Pois por mais árido que esteja o chão, mesmo o frescor da chuva ainda distante, mesmo sem vida minhas raízes, eu sei que poderei reviver, mesmo sem água, apenas…simplesmente, ao cheiro delas, ao cheiro das águas sobre a terra!

Obrigada, Jesus! Dono das águas vivas!!!

**PS: e enquanto posto, cai de repente uma chuvinha depois de um dia tão quente… é “só” Deus me lembrando, por via das dúvidas, que há, sim, ESPERANÇA!

#o que Deus diz!

Anúncios

CHUVAS ISOLADAS


depois de tanta chuva
pôs-se a lua a passear no céu
sob olhares atentos de que não entendia (como podia?!?!)
tão densa cortina negra se abrir tão prontamente

os que outrora estavam no olho do furacão
agora buscavam viver tranquilamente
esse tempo de mansidão.

... visto que as tempestades são sempre assim,
aproveitemos, pois a estiagem.
em apenas 5 minutos tudo pode mudar!

RAIMBOW



nem estava de todo acordada
foi à janela pra ver quem a saudaria: sol ou chuva
(na verdade era pra saber com que roupa sairia)
um arco-íris (quanto tempo não o via!) sorriu pra ela
lembrou-se de Deus e de suas misercórdias “que se renovam a cada manhã”
teve esperança
e, como ainda tinha uns minutinhos,
voltou pra cama

AFORTUNADA


fotinha via

Não sei se aí de onde você me lê chove, mas aqui, ontem, choveu, mas choveu mesmo. O céu carregado foi minha companhia por toda tarde e uma chuva torrencial caiu até o fim do dia.

Escureceu mais cedo. Ela lá fora. Eu aqui dentro, protegida pelo vidro espelhado, grosso, fechado (como o tempo).

Lá pelas tantas lembrei de enchentes, ruas alagadas, dificuldade de ir pra casa, lá pelas tantas, lembrei de repente do meu carro estacionado na rua em frente!

E pela janela do décimo andar vi um celtinha branco abandonado, sozinho, com água por todo lado.

Nessa hora já havia marolas dentro dele e eu rogava secretamente – e em alta voz – para que o motor não batesse, para que ele sobrevivesse, me levasse em paz para casa, para que nós – eu e ele – pudéssemos descansar do batente.

Depois que a água baixou, que o cano de descarga desafogou, ele ligou (amém!!!), e colocou pra fora toda a água que havia engolido no quase afogamento.

O fato é que, vi meu carro boiando na água, e isso não é legal, tudo bem, é um bem material, mas pra gente que paga a prestação suada todo mês é triste.

Mas… sou afortunada!
E ainda seria, mesmo se o meu carro tivesse dado perda total!
Não perdi casa, não perdi amigos, não dormi na rua, não vi pessoalmente nenhuma das tragédias anunciadas por aí por causa dos temporais, minha cidade não está em estado de calamidade pública e minha casa é quentinha e sem riscos de deslizes ou desabamentos.

Nesta hora, além de afortunada, também sou agradecida.
Ao meu Deus que me ouviu quando eu rogava secretamente e em alta voz para chegar em casa protegida!

Boa noite!
🙂

DIAS SEM SOL

cai a chuva e a temperatura
esconde-se o sol
fica o alento
de que voa o tempo
e (quase) tudo passa
mas que volta e meia, volta o vento
que um dia já foi tempestade
mas que hoje é brisa fresca
que acalma e alivia
do ardor que queimava aqui dentro
do calor que lá fora fazia

* sim, não apenas choveu como disse aqui dias atrás, mas a temperatura caiu e pra que isso serviu? Pra refrescar o calor, a alma e as ideias!!

Semana de bênçãos e de brisa fresca que vem dos céus!

45 DAYS AGO

Desde o ano passado que não chovia em Vitória.

Enquanto o mundo era assolado com tragédias naturais, enquanto  chovia (catastroficamente) no Rio, Minas, São Paulo, sul do Brasil e até interior do Espírito Santo, aqui o sol permaneceu intacto sobre nossas cabeças.

Não lembrava da última vez que tinha visto água por essas bandas. Mesmo as chuvas de verão típicas da época estavam recolhidas em seus leitos.

Muito, mas muito calor mesmo, que nem eu, fervorosa defensora dos verões escaldantes, estava aguentando mais….

Pois bem, no começo dessa semana desceu água do céu. Confesso que o cheirinho de terra molhada me encanta, mas o que foi estranho mesmo foi eu acordar no meio da noite assustada achando que tinha quebrado algum cano lá em casa. Levantei correndo e fui à janela para ver, com surpresa, que era a tal da chuva… “chuva, o que é isso? nem sei do que se trata. não conheço mais seus sons…”

E desde então chove todos os dias, pouco, é bem verdade, mas é melhor que nada!

So, o que me interessa mesmo é divagar sobre as estações internas que atingem cada um que me lê… eu, por exemplo, sou só verão, mas ameno e com muito protetor.

And you? Tell me

CHOVE EM MIM

Já falei de chuva aqui, mas agora é diferente, agora já é 2010 minha gente e, sim, as coisas mudaram…

hoje, até os mais ferrenhos amantes do verão pedem chuva
eu também
chuva de água, de verdade
chuva de Deus
chuva de amor

E pra isso, acho pertinente postar um texto do Caio Fernando que tinha lido e guardado, porque sempre achei que ia fazer algum sentido um dia…

Tenho um amor fresco e com gosto de chuva e raios e urgências.
Tenho um amor que me veio pronto, assim,
água que caiu de repente, nuvem que não passa.
Me escorrem desejos pelo rosto, pelo corpo.
Um amor susto.
Um amor raio trovão fazendo barulho.
Me bagunça.
E chove em mim todos os dias.


SEJA BEM-VINDO!

JULIANA ESCREVE
Sobre tudo que alcança seu coração, o que não é pouca coisa! Deus, família e amigos são assuntos recorrentes. Milagres, bençãos e bom humor também fazem parte... Se quiser ficar no meu coração, à vontade, mas não traga porcarias para dentro dele, ok? :)

Categorias