Posts Tagged 'tempo'

FILME RUIM


pela fresta viu seu mundo devastado
uma lacuna que se abriu no tempo
um filme de mau gosto, um ensaio do passado
a reprise de uma novela ruim que não merecia audiência

mais a noite teve jogo
ainda bem, o programa era outro
e você também…
as cortinas se fecharam
acabou o espetáculo.
tá tudo bem!

Anúncios

É PRECISO TER FÉ…


É preciso ter fé em alguma coisa, nem que seja no tempo, que traz serenidade e ameniza as saudades, ajuda a aceitar os excessos, as rugas, os desamores, as decisões e os critérios, conserta desvios, cicatriza feridas. O tempo torna a falta de sentido um pouco mais suportável, transforma a dor em potência, mastiga, engole, digere e manda às favas um dia de trânsito engarrafado, conta no vermelho, enxaqueca, desarranjo ou aquela ausência repetida, sentida (ai), incontida, aquela ausência (sabe?), sentida (ai), incontida, repetida.

Um pedacinho do texto de Ana Laura Nahas.

O SENHOR DO TEMPO


Marta era tempestade. Boa dona de casa, sabia receber como poucas, mulher exemplar, preocupada com os afazeres diários dentro e fora do lar. Era elétrica, não descansava um instante, sempre pensando no que fazer no momento seguinte…

Maria era brisa, sempre serena, responsável e dedicada ao que se propunha a fazer. Organizada, dividia a vida (e os dias) por prioridades e ia realizando uma a uma. Decidida, não deixava o dia-a-dia consumi-la…

Ambas eram cheias de qualidades.

Um dia receberam a visita do Senhor do Tempo.

Marta apressou-se em por a casa em ordem e preparar uma mesa farta. Maria correu à porta, recebeu o Mestre com carinho e pos-se a ouvi-lo sentada no tapete da sala.

Depois de algumas horas Marta trovejou:
– Senhor, Marta sabe o quão ocupada estou e nem se preocupa com isso! É tão insensível…
Ao que responde calmamente o Mestre:
– Marta, Marta… o sol causticante do deserto está sempre diante de ti, mas o vento suave da minha presença nem sempre. Ela escolheu passar a dia banhando-se em minhas águas para depois dormir em meus braços… devias fazer o mesmo…

Então, Marta serenou!


*Eis aí minha releitura da parábola de Lucas 10:38-42, quando Jesus vai visitar Marta e Maria (irmãs de Lázaro), na cidade de Betânia. Será que cometi alguma heresia? rs, rs. Comment me, please!

DIAS SEM SOL

cai a chuva e a temperatura
esconde-se o sol
fica o alento
de que voa o tempo
e (quase) tudo passa
mas que volta e meia, volta o vento
que um dia já foi tempestade
mas que hoje é brisa fresca
que acalma e alivia
do ardor que queimava aqui dentro
do calor que lá fora fazia

* sim, não apenas choveu como disse aqui dias atrás, mas a temperatura caiu e pra que isso serviu? Pra refrescar o calor, a alma e as ideias!!

Semana de bênçãos e de brisa fresca que vem dos céus!

DO MEIO PARA O FIM (do expediente)





Amigas queridas, lanchinho gostoso, papinho delícia…
Eu chamo isso de “tarde de gostosuras”.
É isso que ajuda o tempo passar quando ela agarra na gente… faz ficar mais suportável as horas aqui dentro.

DOCE NOVEMBRO

ah, novembro…
doce, sem veneno

ela se calou diante das palavras que esperou ouvir por tanto tempo
surpresa, descrente… teve certeza, foi valente

não pode escrever o que ouviu
porque sem o som aquelas palavras perderam o valor
então ela guardou na memória o gosto e o calor

de um novembro que se foi com o vento
mas deixou seu sabor
para os meses que ainda virão

MAIS UMA VEZ, O TEMPO…

achei que tem a ver com o tempo – assunto recorrente por aqui – tem a ver com final de ano, tem a ver comigo. Então taí:

Última página. Mais uma vez o tempo me assusta. Passa afobado pelo meu dia, atropela minha hora, despreza minha agenda. Corre prepotente, a disputar lugar com a ventania. O tempo envelhece, não se emenda. Deveria haver algum decreto que obrigasse o tempo a desacelerar e a respeitar meu projeto. Só assim, eu daria conta dos livros que vão se empilhando, das melodias que estão me aguardando, das saudades que venho sentindo, das verdades que ando mentindo, das promessas que venho esquecendo, dos impulsos que sigo contendo, dos prazeres que chegam partindo, dos receios que partem voltando. Agora, que redijo a página final, percebo o tanto de caminho percorrido ao impulso da hora que vai me acelerando. Apesar do tempo e sua pressa desleal, agradeço a Deus por ter vivido, amanhecer e continuar teimando!

esse também é da Flora. Para mais dela, clique aqui!


SEJA BEM-VINDO!

JULIANA ESCREVE
Sobre tudo que alcança seu coração, o que não é pouca coisa! Deus, família e amigos são assuntos recorrentes. Milagres, bençãos e bom humor também fazem parte... Se quiser ficar no meu coração, à vontade, mas não traga porcarias para dentro dele, ok? :)

Categorias